domingo, 11 de abril de 2010


Onipresença


Sonhaste tanto, meu bem,
pudera eu ser a tua minha vontade;
Nossas almas subiriam ao eterno
e, tão somente, cairiam à nossa verdade.

Teus ares respirariam por meu ser,
tuas lágrimas sangrariam de meus mirantes,
tua pele encostaria ofegante em minha tez,
tua boca contaria segredos à minha.

E quando menos imaginasse,
seríamos mais que divindade;
cortaríamos galáxias e colossais
em corpos juntamente onipresentes.

Amo-te como flor companheira de jardim,
como brisas constantes de uma direção;
Não fiques malferido, és eterno amor,
já dei-te meu coração e recebi teu ardor.



Teresina,
Junior Magrafil (11 de abril de 2010).

2 Comentários:

I'm just a little bossy. disse...

...Cada vez melhor, amei esse post, até porque me encontrei nele.

Passando pra deixar beijo =*

Zau disse...

Perfeito! Qual a melhor forma de definir sentimento senão com a poesia?

http://fobsocial.blogspot.com

Postar um comentário

 

Copyright © 2010 .: Permita-se :. Poemas de Magrafil | Design by Junior A. Magrafil